A primeira vista, o título deste artigo pode parecer algo próximo de um ‘chororô de fã’. Nós até gostaríamos que fosse, mas infelizmente esse não é o caso.

Apesar de chegar a primeira posição das paradas de álbuns mais vendidos do Reino Unido e da Austrália em sua semana de estréia, o quarto álbum de estúdio da 5 Seconds of Summer, ‘CALM’, não conseguiu o mesmo feito nos Estados Unidos.

Um dia após o lançamento do disco – marcado para 27 de março – e o início das vendas, a 5 Seconds of Summer ‘surgiu’ na #62 posição da Billboard 200. Normalmente, entre a data de lançamento de um álbum e a sua estréia na lista há um período de uma semana de vendas que contribui para que o material consiga uma boa colocação.

A estréia após apenas um dia de vendas significou não só uma posição baixa para a banda e poucos discos vendidos (foram computadas apenas 11 mil cópias), como também a quebra de um histórico glorioso: até então, a 5SOS havia colocado seis lançamentos nas mais altas colocações da parada de álbuns norte-americana. Destes, três discos de estúdio debutaram direto no 1º lugar – ‘5 Seconds of Summer’ (2014), ‘Sounds Good Feels Good’ (2015) e ‘Youngblood’ (2018). A marca fez do grupo o primeiro conjunto não vocal a ter todos os seus discos estreando no topo da Billboard.

Pegos de surpresa pela notícia da estréia antecipada no sábado (28 de março), os fãs de Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings e Michael Clifford ficaram alguns minutos questionando nas redes sociais o que havia de fato acontecido – alguns levantaram a teoria de que um erro do iTunes norte-americano havia feito com que o disco saísse 1 hora antes do horário correto.

Até que a banda se pronunciou: “Ei, pessoal! Nós descobrimos há alguns dias que por conta de um erro logístico, cerca de 10 mil cópias do nosso álbum foram enviadas mais cedo nos Estados Unidos. Esses discos vão aparecer na parada da Billboard desta semana, uma semana antes do que o nosso álbum estava previsto para estrear na lista. Nós ainda queremos que o nosso disco fique o melhor posicionado possível na próxima semana. Também queremos agradecer a todos vocês, todo mundo que está fazendo stream do álbum ou que comprou uma cópia. Vocês realmente são os melhores fãs que nós poderíamos ter e nós os amamos!”

 

Ver essa foto no Instagram

 

🖤

Uma publicação compartilhada por 5 Seconds of Summer (@5sos) em

Começou, então, uma corrida para que o ‘CALM’ conseguisse a 1ª posição em sua segunda semana de vendas em solo americano e em sua estréia nos demais países. Os fãs e a banda se mobilizaram em centenas de stream parties para ouvir o disco nas plataformas digitais; o grupo disponibilizou produtos exclusivos acompanhados de cópias do álbum, especialmente para aqueles que moram nas regiões com as principais paradas musicais – Estados Unidos, Reino Unido e Austrália.

No Reino Unido – onde não houve erro no envio dos discos – a batalha da 5SOS para o 1º lugar foi especialmente contra o segundo álbum de estúdio da cantora Dua Lipa, ‘Future Nostalgia’, aclamado pela crítica e pelos fãs de música pop. Na terra da rainha, a corrida ficou apertada até os últimos dias de contagem. Por fim, a 5 Seconds of Summer conseguiu levar a 1ª posição com apenas 550 unidades de diferença para o 2º lugar.

Na Austrália – onde também não houve erro no envio dos discos – a 5SOS levou a primeira posição com mais tranquilidade, ficando na frente também de Dua e de ‘Gigaton’, o novo disco da banda Pearl Jam.

Voltando aos Estados Unidos, além da briga pela reparação do legado da banda, havia outra ‘pedra’ no sapato da 5 Seconds of Summer: ‘After Hours’, o sexto disco de estúdio do cantor canadense The Weeknd, havia vendido mais de 400 mil cópias em sua semana de estréia e estava cotado para continuar na 1ª posição da Billboard em sua segunda semana de vendas com a comercialização de 85 a 90 mil cópias totais.

Para a 5SOS, a previsão inicial do Hits Daily Double (HDD) – site famoso por antecipar com pouca margem de erro os números da indústria musical – era de que de 70 a 80 mil cópias totais seriam vendidas na primeira semana, ainda sem considerar as 11 mil cópias queimadas antes da data correta de estréia.

No dia 3 de abril (sexta-feira), em sua provável última atualização antes da publicação da lista oficial pela Billboard, o HDD não deu os números finais de ‘After Hours’ e ‘CALM’, justificando que a corrida pelo 1º lugar estava muito apertada.

Já no dia 4 (sábado), algumas horas antes da publicação oficial da Billboard 200, o HDD retornou com sua previsão final: ‘After Hours’ pegaria o 1º lugar com 135 mil cópias vendidas e ‘CALM’ ficaria com a 2ª posição com um total de 132 mil unidades comercializadas.

Foi então que, depois da corrida pela venda do maior número possível de cópias do ‘CALM’ e de horas e horas de streaming, uma segunda fase da guerra entre os fãs da 5 Seconds of Summer e a Billboard começou: a revista PRECISAVA reconsiderar as 11 mil cópias perdidas na primeira semana e corrigir a posição do disco, em respeito ao legado da banda e a integridade da lista.

Além de levantar hashtags no Twitter pedindo a recontagem (#BillboardCountThe10K | #BillboardCountThe10KSales #billboardrecalculate | #BillboardDoTheRightThing), a 5SOSFam criou uma petição na esperança de que a previsão do HDD não se confirmasse caso a Billboard optasse por corrigir os seus números finais.

A movimentação contou com o apoio de algumas figuras importantes no universo da banda: Crystal Leigh, a noiva do guitarrista Michael Clifford, Andy DeLuca, diretor criativo da banda, e Sarah Eiseman, fotógrafa e namorada de Andy.

Além deles, alguns veículos publicaram artigos sobre a situação da banda, dentre eles a Rolling Stone (Austrália), a Alternative Press, o The Music Network e a versão virtual do jornal britânico Daily Mail.

No caso dos fãs, as mensagens postadas não eram baseadas apenas na idolatria pela banda. Grande parte delas eram motivadas ainda pelo histórico de artistas como Ariana Grande, Harry Styles e Justin Bieber – citados por eles como cantores que também tiveram seus discos ‘enviados’ mais cedo mas que não foram prejudicados em suas estreias na Billboard 200.

No domingo (5 de abril), a nova edição da parada de discos foi publicada e infelizmente a previsão do HDD foi confirmada: ‘After Hours’ ficou na 1ª posição com 138 mil cópias totais vendidas e ‘CALM’ no 2º lugar com um total de 133 mil unidades. As 11 mil cópias queimadas antes da hora, no fim, fizeram toda a diferença para a 5 Seconds of Summer.

No artigo sobre a atualização da lista, a revista explicou: “‘CALM’ estreou mais cedo na Billboard 200 durante a semana do dia 26 de março, na posição #62, com um total 11.000 CDs vendidos em um combo de ingressos para shows da próxima turnê da banda nos Estados Unidos. Os CDs foram entregues erroneamente aos clientes antes da data correta de lançamento do álbum, 27 de março, devido a um erro administrativo. Os compradores receberam o disco aproximadamente no dia 23 de março. As regras da Billboard determinam como ‘venda de álbum’ a data em que o cliente recebe o disco, durante a semana de acompanhamento das vendas para registro da lista.”

“‘CALM’ é o mais recente álbum a estrear antes da data prevista na Billboard 200 e subir para o TOP 10 após sua primeira semana de vendas. Um exemplo, também recente e memorável, foi quando o disco ‘Anti’ da Rihanna estreou na #27 posição em 2016, após dois dias de streaming no Tidal e um dia de vendas na mesma plataforma. Ele alcançou a #1 posição na semana seguinte, após seu lançamento em todos os revendedores digitais. Antes do ‘Anti’, álbuns também bem colocados como ‘In Rainbows’ do Radiohead, ‘Life After Death’ do Notorious BIG e ‘Destiny Fulfilled’ do Destiny’s Child’s estrearam mais cedo na lista devido a violação das datas determinadas para o início das vendas em lojas de discos (quando a Billboard 200 era baseada apenas em vendas de álbuns físicos) e subiram para o TOP 10 em sua segunda semana na lista.”

Em resumo, para a Billboard o problema não foi causado por eles e por isso também não poderia ser solucionado por eles.

Além dos fãs, do círculo de profissionais e amigos da banda, outro grupo de pessoas não aceitou o posicionamento da revista: alguns radialistas norte-americanos. Após a publicação da nova edição da parada, parte deles se juntou aos admiradores da 5SOS em uma nova rodada de reclamações nas redes sociais:

Até a finalização deste texto, nenhum integrante da 5 Seconds of Summer se manifestou diretamente sobre toda a confusão relatada acima. Luke Hemmings, Calum Hood e Michael Clifford fizeram apenas publicações sobre o apoio dos fãs:

Já Ashton Irwin foi um pouco mais longe e curtiu postagens que mencionam explicitamente a Billboard e a questão da estréia antecipada:

ATUALIZAÇÃO (07.04):

Michael mencionou indiretamente a questão em uma transmissão na Twitch; ele disse que a banda vê a movimentação dos fãs e os agradeceu por isso:

Ashton Irwin publicou um vídeo em seu Twitter pontuando a questão:

Texto: Fernanda Lima (Equipe 5SOS Brasil)
Colaboração: Bárbara Ferrareze, Beatriz Ribeiro, Laís Batista e Larissa Rhouse (Equipe 5SOS Brasil)

06/04/20 | Álbum , Calm , Notícias
Compartilhe esse post:
Você pode gostar de ler também

Deixe seu comentário



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Atualizações da galeria
Apoio