#TV5SOSBrasil

MAIS ACESSADOS

AGENDA DE EVENTOS

22

06

TODAY Show | Nova Iorque, Estados Unidos

22

06

zpl Birthday Bash | Indiana, Estados Unidos

23

06

B96 Summer Bash | Rosemont, Estados Unidos

02

08

Zepp | Osaka, Japão

Notícias

5 Seconds of Summer
Youngblood (EMI)
3.5 estrelas de 5

Bem-vindo a 5 Seconds of Summer gênero-fluida.

Quando a banda de Sydney explodiu, acabou se tornando o ponto de fuga dos fãs do One Direction que estavam procurando por algo mais rock.

Dois álbuns pop-punk depois, “Girls Talk Boys”, a faixa repleta de falsetes estilo anos 80 e pitadas de funk que fez parte da trilha sonora de “Ghostbusters”, veio como um sinal de que a mudança estava chegando.

Este terceiro álbum deixa o punk para trás para se aventurar no vasto mundo do pop. Os produtores de rock com quem eles estavam trabalhando há três anos se foram (incluindo os Madden Brothers), e uma série de hitmakers pop e R&B os empurraram para fora de sua zona de conforto.

Eles descobriram aqui que na música pop vale quase tudo.

E funcionou. A faixa título surpreendentemente mínima, “Youngblood”, é o seu maior sucesso na Austrália até hoje. E eles soam como uma banda totalmente diferente daquela que conseguiu seu outro número #1 no país, “She Looks So Perfect”.

O sucesso radiofônico (na Austrália pelo menos) colocou a nave 5SOS de volta ao curso depois de seu single de retorno “Want You Back” (uma música pop forte, também com fundo funk, composta com o co-autor de “Shape of You”, Steve Mac) não ter sido o sucesso global que eles precisavam para conseguir atenção nesse curto tempo desde a sua volta.

“Lie To Me”, assim como “Youngblood”, foi feita com a equipe por trás do sucesso latino “Havana”, de Camila Cabello. Mas é bem mais próxima de uma onda romântica da trilha sonora de “Grease” do que de Good Charlotte. É estranho, mas funciona e combina com seus vocais. Com toda certeza, o herói deste álbum é Luke Hemmings – sua voz é a força guia na maioria das músicas.

A balada “Ghost of You”, recebe muita produção e dezenas de cordas, e acaba saindo como a versão da banda de “Fix You”, propositalmente construída para arenas e a função lanterna dos celulares.

Se “Valentine” soa estranhamente parecida com “Stressed Out” do 21 Pilots, é porque Mike Elizondo, que produziu o álbum “Blurryface” do 21P, trabalhou nela.

Eles parecem gostar de cobrir o máximo de terreno possível. Para isso, voltam para o new-wave de uma Los Angeles de 1984 através do resultado de uma parceria com produtores pop suecos (“Talk Fast”), vão ao gótico da banda Weezer (“Why Won’t You Love Me” – co-composta com Rivers Cuomo) e chegam até The Police e Nine Inch Nails em “Meet You There”.

5 Seconds of Summer – Youngblood

Fonte: Herald Sun
Tradução/Adaptação: Fernanda Lima (Equipe 5SOS Brasil)

Matéria publicada originalmente no dia 14 de junho.

O show do mês passado no Sydney’s Metro Theatre marcou quase seis anos desde o primeiro show da 5 Seconds of Summer no local.

Pouco depois do show de 2012, eles se mudaram para Londres para começar sua carreira em escala mundial.

Foto: Chris Pizzello

Naquela época, todos os integrantes eram adolescentes, o vocalista Luke Hemmings, por exemplo, tinha apenas 16 anos.

Olhando para ele agora, sentado no escritório de sua gravadora em uma tarde nublada em Sydney, com comportamento autoconfiante e sotaque com uma mistura estranha de australiano e americano, você não consegue pensar em nada além de qual conselho o garoto de 21 anos daria à sua versão adolescente, quando ela se despediu de sua casa em Sydney e se mudou para Londres.

Foto: AP

“Eu diria a ele para investir em algumas peças-chave melhores para seu guarda-roupa”, diz ele.

“Não beba tantas cervejas”, acrescenta o baixista Calum Hood, sentado ao lado dele.

O riso desaparece.

“Você olha para trás e pensa, ‘esse garoto não sabe nada do que vai acontecer'”, diz Hemmings. “Então eu não sei o que diria. Além de compre umas calças melhores.”

Foto: Chris Pizzello

Mesmo escolhas fashion mais inteligentes não conseguiriam preparar o quarteto para o que o esperava.

Depois de viajar pelo mundo com o One Direction em 2013, o grupo lançou seu primeiro single, “She Looks So Perfect”, em 2014 e viu o hino pop-punk subir ao topo das paradas na Grã-Bretanha e na Austrália.

A histeria aumentou quando seu álbum homônimo de estréia atingiu o 1º lugar nos Estados Unidos, Austrália, Grã-Bretanha e em vários outros territórios, consolidando sua posição como major act.

Vieram então um segundo álbum, “Sounds Good Feels Good” de 2015, e um álbum ao vivo, com o quarteto parando para uma pausa decente apenas ao terminar uma turnê mundial no final de 2016. Foi uma sequência difícil.

“Acho que ficamos mentalmente esgotados depois de trabalhar por quatro anos sem parar”, diz Hood, 22. “Ficamos cercados por todo esse ruído por quatro anos, e ao terminarmos essa turnê tivemos quatro meses de folga, e pela primeira vez as coisas ficaram silenciosas.”

“Nos jogaram [de volta] em LA e disseram: ‘tudo bem, vão e construam suas vidas novamente’. Então naquela época estávamos muito perdidos.”

“É difícil reconstruir sua vida pessoal do zero. O que impulsionou o novo álbum, liricamente e sonoramente, foi nos reunirmos e redescobrirmos quem éramos como indivíduos, assim como quem é a 5 Seconds of Summer e qual mensagem queríamos retratar.”

O resultado pode ser um choque para alguns fãs inflexíveis da banda.

Seu novo álbum, “Youngblood”, foge do seu antigo pop-punk em direção a um som contemporâneo comum nos TOP 40, característico do trabalho dos compositores com quem a banda colaborou, como o time sueco Carl e Rami (Nicki Minaj, Britney Spears, Madonna) e Justin Tranter (Gwen Stefani, Justin Bieber).

Há momentos em “Youngblood” em que o trabalho parece ser de um grupo completamente diferente.

“Praticamente fizemos três ou quatro álbuns diferentes”, diz Hood. “[Parte do material] tinha mais samples, como o trabalho do The Avalanches, [parte tinha] muita influência da década de 1950. Colocávamos toda a nossa energia emocional no que achávamos que seria a coisa certa, para então terminarmos e pensarmos ‘nah, não é isso, voltem para trás’. E aí tínhamos que começar tudo de novo.”

Alguns irão dizer que a mudança no som é uma tentativa falsa de permanecer em alta. Hemmings afasta a ideia.

“É exatamente quem somos”, diz ele. “Uma banda com a qual estamos à vontade ​​em nossos vinte anos.”

Fonte: The Sydney Morning Herald
Tradução/Adaptação: Fernanda Lima (Equipe 5SOS Brasil)

Matéria publicada originalmente no dia 14 de junho.

Os fãs britânicos da 5 Seconds of Summer tiveram seus pedidos atendidos, já que os caras viajaram até o Reino Unido para divulgar seu novo single, “Youngblood”.

A banda pop-rock australiana passou pelo BBC Radio 1 Live Lounge para tocar a nova faixa, além de apresentar um cover de “No Roots”, de Alice Merton.

“Youngblood” é a faixa-título do seu terceiro álbum de estúdio, que deve ser lançado no dia 15 de junho.

Veja as performances abaixo:

Fonte: Billboard
Tradução/Adaptação: Fernanda Lima (Equipe 5SOS Brasil)

Publicação feita originalmente no dia 13 de junho.

Dos jeans skinny para as jaquetas caras

A 5 Seconds of Summer nunca conseguiu ser “mais boy band” que seus heróis do pop-punk, Blink-182, Sum 41 e Good Charlotte. Mesmo assim, no início de sua carreira, de estrelas do YouTube a pop-punkers de jeans skinny, até artistas de abertura dos shows do One Direction (que definitivamente era uma boy band, complicando ainda mais as coisas), o quarteto australiano não conseguiu evitar esse esteriótipo. E o conceito sempre os incomodou.

“Setenta e cinco por cento das nossas vidas são passados tentando provar que somos uma banda de verdade”, disse o baterista Ashton Irwin à Rolling Stone em 2015. “Estamos ficando bons nisso agora. Não queremos ser, tipo, apenas para meninas. Queremos ser para todos.”

Embora seja fácil ver essa frase sendo tirada de contexto, ficou claro que Ashton – e os guitarristas Luke Hemmings e Michael Clifford e o baixista Calum Hood – queriam apenas dizer que gostariam de fazer sucesso e ter músicas de sucesso. É por isso que, em fevereiro, quando a 5SOS voltou com “Want You Back”, foi fácil entender que seu maquinário estava em ação em busca desse objetivo: essa é uma música pop. No fundo esses caras são, e sempre foram, estrelas pop. Você só precisava ouvir as faixas certas para perceber.

Claro, você não perceberia isso pelos sons repletos de guitarra e bateria. Mas desde o início, em 2014, as sementes para a ida da 5SOS ao pop já estavam plantadas. E agora, com o lançamento do tão aguardado terceiro álbum da banda, “Youngblood”, na sexta-feira (15 de junho), é hora de ver exatamente como. Aqui está a evolução da 5SOS até o pop através de oito de suas maiores canções.

1. She Looks So Perfect (2014)

O som: Rock de estádio típico dos anos 80 para a geração do Instagram

A história: Se esse refrão explosivo não foi o primeiro encontro dos fãs com a banda – eles já eram conhecidos no YouTube há anos – ele foi com toda certeza o anúncio da chegada da 5SOS para o grande público. Influenciada pela grandiosidade dos shows em estádio e pela juventude, com vestígios de pop-punk, a faixa revelou, em três minutos e meio, tudo o que você precisava saber sobre a banda até aquele momento… mesmo que Michael não tenha gostado dela no início. “Ela me atingiu de cara”, disse Ashton à Rolling Stone. “Eu adorei porque soava peculiar. Eu sabia que ia nos fazer estourar. Michael odiou.”

2. Don’t Stop (2014)

O som: Como se o One Direction tivesse aparecido na trilha sonora de “American Pie 2”

A história: fazer videoclipes engraçados é uma tradição pop-punk consagrada pelo tempo (assim como raspar o cabelo). Aqui, os garotos da 5SOS se tornam “super-heróis” para mostrar seu lado cômico em uma faixa pop-punk vinda diretamente de 2001. Sua sonoridade característica começou a aparecer.

3. She’s Kinda Hot (2015)

O som: Good-inspirado Charlotte

A história: Co-composta pelos próprios Madden Brothers, além de John Feldmann, do Goldfinger, “She’s Kinda Hot” foi, na época do lançamento, a última entrada da banda em uma vertente mais rock. “É uma variação do rock and roll dos anos 1950. Esse tipo de riff aparece em inúmeras músicas conhecidas, incluindo ‘Day Tripper’, dos Beatles”, disse o musicólogo Joe Bennett ao MTV News em 2015. Também notei um pouco de influência de “Why Don’t You Get a Job?” do Offspring. A fórmula funciona!

4. Hey Everybody! (2015)

O som: Sum 41 no TRL em 2001

A história: Esse hino efervescente sempre me lembrou “In Too Deep”, do Sum 41, e o vídeo também se encaixa nessa descrição. Ao invés de bancarem os nadadores de elite, o rapazes da 5SOS interpretam jovens milionários em cenas repletas de referências que, é claro, acabam terminando na piscina. “Queríamos mostrar que no final do dia, a banda queria apenas ser ela mesma, nós os vemos caindo fora desse estilo de vida granfino”, disse o diretor Isaac Rentz ao MTV News em 2015. “Eles não precisam disso, é legal, mas é quase como um parque de diversões, em vez de algo que eles realmente querem.” Mesmo assim, os garotos da 5SOS eram jovens, “ricos” e estavam prontos para enfrentar o mundo.

5. Jet Black Heart (2015)

O som: O oposto da super-faixa para estádios (também conhecido como a balada que consegue destruir tetos)

A história: Há uma razão pela qual a banda tocou essa música ao vivo mais de 150 vezes nos últimos três anos: ela simplesmente se conecta com o público. Você pode ver essa conexão no videoclipe repleto de fãs; o som amadurecido de “Sounds Good Feels Good” amplificou a força da 5SOS para algo supersônico. Para fazer isso, a banda se uniu com o ex-membro do Evanescence, David Hodges, e apontou a faixa diretamente para o céu, obtendo o som mais amplo possível. Seria só uma questão de tempo até que eles fizessem isso novamente.

6. Girls Talk Boys (2016)

O som: Pop dos anos 80 com pitadas de falsete

A história: Pensando bem, a 5SOS nos deu uma ideia de como seria seu salto quântico para “Youngblood” em 2016, através desta joia neon que fez parte da trilha sonora de “Ghostbusters”. Com a ajuda de composições de uma pequena equipe de profissionais (incluindo Teddy Geiger), “Girls Talk Boys” foi onde a maioria das músicas da 5SOS ainda não haviam ido: diretamente a um funky groove. “É mais como um passo cool para nós musicalmente”, disse Luke na época. E esse passo os levou diretamente para…

7. Want You Back (2018)

O som: Um dance-pop honesto à la The 1975

A história: Com essa faixa, a 5SOS atingiu um marco pop também alcançado pelo Jackson 5 e pelo NSYNC (e o Haim): compor sua própria versão de uma música com esse nome. E que música é essa. Os coros foram trocados por falsetes – obra de Steve Mac (que ajudou a compor “Shape of You”) e outros. Como Luke revelou recentemente, o resultado final foi alcançado através de muitas tentativas e erros: “Tivemos que fazer algo que fosse melhor para nós como pessoas e como banda.”

8. Youngblood (2018)

O som: Bleachers, mas com o coração partido no meio da balada

A história: “Youngblood” é uma declaração da missão ousada traçada para a nova era da 5SOS. O som das batidas eletrônicas é mais alto. As guitarras são complementos ao invés de foco principal. E o sentimento de mágoa é aniquilador. A banda a compôs com bruxos do pop que estão por trás de músicas de nomes como Camila Cabello, Cardi B, Post Malone e Justin Bieber. O motivo é claro – quando você precisa de uma música que soe drasticamente diferente, mas que também soe como uma superação pessoal, pessoas com esse histórico são necessárias. “Ninguém estava esperando que nós seguíssemos esse tipo de rota ao evoluir musicalmente”, disse Michael recentemente.

Fonte: MTV
Tradução/Adaptação: Fernanda Lima (Equipe 5SOS Brasil)

Matéria publicada originalmente no dia 13 de junho.

A 5 Seconds of Summer passou pelo BBC Radio 1 Live Lounge esta semana e deixou nossos corações aquecidos.

Durante a visita a banda tocou duas músicas, como é de costume no Live Lounge: um cover e uma faixa original.

Primeiro, a 5SOS escolheu fazer uma versão de “No Roots”, da Alice Merton, e devemos dizer que eles tocaram muito bem.

A banda também apresentou seu último single, “Youngblood”, acusticamente e talvez essa seja a coisa mais linda que você vai ver hoje – deixaremos você decidir sozinho se sim ou não. Os vídeos estão abaixo.

Como já havíamos noticiado, a 5 Seconds of Summer revelou no mês passado que seu novo álbum seria lançado antes do esperado. A data de lançamento de “Youngblood”, o terceiro disco de estúdio do grupo, foi antecipada de 22 para 15 de junho.

Você pode pré-encomendar “Youngblood” agora mesmo clicando aqui. A banda entrará na estrada pela América do Norte e Reino Unido nos próximos meses, após o lançamento do novo álbum.

Assista-os no Live Lounge e confira as datas da próxima turnê da 5SOS abaixo!

Vamos começar com o belo cover de “No Roots” da Alice Merton:

E para melhorar as coisas ainda mais, aqui está a 5SOS tocando “Youngblood” acusticamente e fazendo nossos corações derreterem:

“Meet You There Tour” (América do Norte e Reino Unido)

27/08 – Toronto, ON @ RBC Echo Beach
29/08 – Uncasville, CT @ Mohegan Sun Arena
30/08 – Boston, MA @ Blue Hills Bank Pavilion
01/09 – Allentown, PA @ Great Allentown Fair
02/09 – Virginia Beach, VA @ Veterans Amphitheatre
05/09 – Vienna, VA @ Wolf Trap
07/09 – Allegan, MI @ Allegan County Fair
08/09 – Chicago, IL @ Aragon Ballroom
09/09 – Minneapolis, MN @ The Armory
11/09 – Rochester Hills, MI @ Meadow Brook Amphitheatre
13/09 – York, PA @ York Fair
14 /09– Holmdel, NJ @ PNC Bank Arts Center
16/09 – Charlotte, NC @ Charlotte MCU Amphitheatre
18/09 – Orlando, FL @ House of Blues
19/09 – Atlanta, GA @ Coca-Cola Roxy
24/09 – Nashville, TN @ Nashville Municipal Auditorium
26/09 – Rogers, AR @ Walmart AMP
27/09 – Irving, TX @ Toyota Music Factory Pavilion
28/09 – Sugar Land, TX @ Smart Financial Centre
30/09 – Denver, CO @ Fillmore Auditorium
02/10 – San Diego, CA @ Cal Coast CU Open Air Theatre
03/10 – San Jose, CA @ San Jose State Event Center
05/10 – Seattle, WA @ The Paramount Theatre
11/10 – Phoenix, AZ @ Comerica Theatre
12/10 – Los Angeles, CA @ The Greek Theatre
23/10 – Glasgow @ O2 Academy
26/10 – Manchester @ O2 Apollo
29/10 – London @ O2 Academy Brixton
01/11 – Birmingham @ O2 Academy
02/11 – Sheffield @ O2 Academy

Fonte: Alternative Press
Tradução/Adaptação: Fernanda Lima (Equipe 5SOS Brasil)

Matéria publicada originalmente no dia 12 de junho.

A 5 Seconds of Summer levou o ET para os bastidores de seu novo documentário, “On the Record”!

A boy band australiana está comemorando o lançamento de seu novo disco, “Youngblood”, com um curta lançado através da Apple Music, e o ET conseguiu dar uma espiada em uma das sessões de filmagem.

Lançado na segunda-feira, o filme mostra a banda falando sobre as gravações e turnês de seus dois primeiros álbuns, que estreiaram no topo da Billboard 200, assim como o seu retorno com o disco “Youngblood”, que será lançado na sexta-feira.
“On the Record”, que está disponível apenas na Apple Music, mostra os cantores de “She´s Kinda Hot” ensaiando e gravando faixas para o novo álbum e participando de uma sessão de fotos.

Nele os músicos de Sidney também explicam seu novo som, dizendo: “Queríamos definir um tom para uma nova direção… através de uma tela em branco, e começar de novo. Precisávamos correr esse risco para seguir em frente.”

Watch #OnTheRecord, our documentary with @AppleMusic

Uma publicação compartilhada por 5 Seconds of Summer (@5sos) em

O grupo, composto por Luke Hemmings, Michael Clifford, Calum Hood e Ashton Irwin, também dará aos fãs da Apple Music um show exclusivo em Nova York na sexta-feira.

Fonte: Entertaiment Tonight
Tradução/Adaptação: Fernanda Lima (Equipe 5SOS Brasil)

Matéria publicada originalmente no dia 12 de junho.