#TV5SOSBrasil

AGENDA DE EVENTOS

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Shows

48971578e5e945cad9ae28219b2fd4be

Os meninos do 5 Seconds of Summer cresceram. Assim como muitos dos primeiros fãs da banda, as jovens fãs do sexo feminino, em sua maioria no auge da puberdade, mas ainda não velhas o suficiente para festivais, que estavam em seu show em Sydney na terça à noite. Esse membros da 5SOS fam se comportam mais como uma multidão jovem assistindo a uma banda punk pop do que as tweens e histéricas adolescentes cheias de hormônio que têm respondido a simples menção do nome da banda com gritos pelos últimos cinco anos.
2374c22daaecb8da82486981c75fc2f4

A noite de abertura da banda no Hordern Pavilion, o penultimo show da turnê, Sound Live Feels Live, também aconteceu de ser seu 100º esse ano.

“Esse é nosso 100º show. É como se tivesse sido planejado,” disse o vocalista, Luke Hemmings.

E foi mostrado.

As guitarras rangeram, a bateria embalou o ambiente e a harmonia se encaixavam de uma forma que provocou vários gritos, aplausos e a galera cantando junto.  É mais um Blink 182 encontra Good Charlotte do que One Direction, e os braços do público estavam apontados para o palco ala uma plateia de rock do que de um lado pro outro como um publico pop adolescente.

6b3c47b07cf8d6e99743cd6090d81c2b

5SOS também expressou sua preocupação como uma banda de rock enquanto assistiam as pessoas animadas, enchendo a grade ficando apertadas demais para estarem confortáveis.

Hemmings teve que parar o show em um momento para chamar uma mãe para buscar sua filha que estava passando mal.

O guitarrista Michael Clifford, baterista, Ashton Irwin e baixista, Calum Hood passaram um bom tempo conversando com o público – pareceu que tanto quanto passaram tocando – afirmando sua gratidão a lealdade de seus jovens fãs.

Clifford pode ter definido um novo recorde para ficar parado em frente ao microfone e ser soterrado por gritos e aplausos em sua pausa dramática durante Jet Black Heart, com o cronômetro marcando mais de quatro minutos. Mas tiveram momentos fofos também, quando os meninos fizeram uma homenagem a suas famílias e Irwin prometeu a seus avós que vai pagá-los de volta por sua primeira bateria.

73b11ed46eb1d1c63c9de970c82a4a1f

Eles provavelmente deveriam ter oferecido agradecimentos para as centenas de pais esperando por seus filhos do lado de fora do local na chuva. Os jovens rapazes foram generosos ao oferecer energia ao público festejando com eles durante as interações.

Claro que algumas das pessoas no show, que ainda incluíam um grande contingente de crianças com seus pais estarão em qualquer lugar perto dos bares onde esses jovens homens visitarão a noite.

O vídeo te lembra que o YouTube e sites streamings fizeram uma lista de canções favoritas do 5SOS independente de tocar em rádios ou posições nas paradas.

De Hey Everybody, Don’t Stop e Amnesia até Good Girls e o mais recente single, Girls Talk Boys, tiveram whoa whoas e oh-ohs suficientes para esses verdadeiros fiéis envolvidos no show

Girls Talk Boys

5SOS atingiu quase todas as emoções com um show polido como a linha de chegada de longos nove meses na estrada a vista. Eles claramente amam tocar, exercitar os músculos construídos conforme eles têm praticado suas habilidades impecavelmente desde que foram para a estrada com One Direction em sua turnê anos atrás.

5SOS toca seu ultimo show da turnê em Sydney na quarta antes de tirar três meses de férias.

E então começar tudo outra vez para os meninos de Sydney continuando a lotar mais e mais arenas ao redor do mundo em 2016.

Fonte: News.co.au
Tradução/Adaptação: Equipe 5SOS Brasil

Na última sexta-feira (13 de agosto), a 5 Seconds of Summer retornou aos palcos após a pausa entre as duas fases da sua turnê norte-americana, e participou do “Pandora Summer Crush”, um show promovido pelo serviço de busca e reprodução de músicas Pandora, em Los Angeles.

A Billboard fez uma publicação em seu site falando sobre o show, que contou ainda com apresentações das cantoras Daya e Fergie. Confira-o na integra clicando aqui, veja o trecho em que a banda é citada abaixo e imagens em boa qualidade do show no nosso Facebook.

A Pandora reuniu milhares de fãs em Los Angeles para um show de fim de verão gratuito, ao vivo e ao ar livre. O “Pandora Summer Crush” trouxe apresentações das sensações pop Daya, 5 Seconds of Summer e da dona do público, Fergie.

O show estrelado por três artistas contava com cabines de fotos da Pandora, vendedores de alimentos e cabines dos patrocinadores: Best Buy, Chevron e Post-It.

[…] Um destaque do show para muitos fãs foi a banda 5 Seconds of Summer. Com o set mais longo da noite, a boy band pop-rock tocou 14 singles, incluindo os hits emplacados na HOT 100 “Shes Kinda Hot”, “Amnesia”, “Good Girls”, “She Looks So Perfect” e “Girls Talk Boys”, da trilha sonora de “Ghostbusters” (2016).

Os meninos da 5SOS revelaram em tom de brincadeira para a Billboard que esperam estar envolvidos em mais trilhas sonoras de filmes, com sua prioridade sendo um remake de “Titanic”. Michael Clifford gostaria de “agitar [a trilha sonora] um pouco” – a sua faixa na trilha seria uma versão de “Celine Dion, mas no estilo do Guns N ‘Roses.”

Se criassem sua playlist perfeita para a Pandora, a 5SOS disse à Billboard que se escolheria: “Eu estava me imaginando de carro em algum lugar. Vou publicar essa playlist, é divertido e otimista”, disse Calum Hood.

Fonte: Billboard
Tradução/Adaptação: Equipe 5SOS Brasil

Os gritos foram uma parte inseparável da experiência, constantemente atingindo novos patamares ao longo do show.

Por Olivia Isenhart

Foi apropriado que a 5 Seconds of Summer tocasse em NYC em uma noite quente e pegajosa de verão. Felizmente, abraçados pela fortaleza com ar-condicionado que é o Madison Square Garden, os fãs só precisaram suportar o calor durante alguns minutos no caminho para a arena. Assim que todos começaram a se refrescar e encontrar seus lugares, seu foco foi deslocado direto para as quatro razões pelas quais eles estavam lá: Luke Hemmings, Michael Clifford, Calum Hood e Ashton Irwin. E cara, eles estavam prontos para gritar por eles.

Me deixe descrever o cenário para você. Cerca de 20 minutos antes da 5SOS subir ao palco, um holofote extra foi aceso e a multidão, que esgotou os ingressos do local, gritou como se tivesse levado um susto em uma casa assombrada. Alguns segundos depois, encontrei um sapato plantado no meu braço. O show não havia começado, e uma menina já estava jogando a perna por cima do meu ombro para pular pelas fileiras e tentar chegar mais perto do palco. Assim que perceberam que havia essa possibilidade, mais meninas foram rápidas em fazer o mesmo, enchendo os corredores completamente e escalando o Garden como formigas em uma bacia de açúcar.

Se foi assim que eles responderam a uma luz ligando, você pode imaginar como eles reagiram quando os caras realmente apareceram e começaram a tocar “Carry On”. A partir desse momento, os gritos se tornaram uma parte inseparável da experiência, constantemente atingindo novos patamares sempre que Luke Hemmings respirava ou Michael Clifford dava alguns passos para frente. No momento em que você percebia o quão intensa a massa de gritos poderia ser, você também precisava admirar a capacidade da 5 Seconds of Summer de controlá-la. Ao longo de sucessos como “Hey Everybody!”, “Money”, “Disconnected” e “Outer Space”, eles geraram FOMO (medo de perder algo) legítimo por todos os seus sorrisos e piscadelas. Seus fãs, que haviam poupado dinheiro e negociado seus horários com os pais para chegar lá, ficaram aterrorizados com medo de perder um momento importante (ou, pior ainda, esquecer de postar sobre um no Snapchat ou no Instagram).

Os gritos de anestesiar o tímpano mantiveram sua intensidade durante todo o show e em canções como “Vapor”, “Castaway” e “Jet Black Heart”, como uma corda extra que nunca progredia. Mas as estrelas do pop punk conseguiram velejar acima dela, seu som foi corajoso e brilhante o suficiente para que as crianças voltassem para casa extremamente felizes, com glowsticks e dedos de espuma a tiracolo. Você poderia dizer que garotas gritando não eram novidade para o baterista Ashton Irwin, porque ele constantemente as bombardeava com paradas rápidas durante todas as suas doces letras. Sua atitude punk foi muito bem recebida, especialmente pelos pais que se encontravam na função de acompanhantes. Os músculos do braço de Calum Hood também foram calorosamente recebidos por suas filhas, já que ele os exibiu em uma versão sem mangas da clássica camiseta de “New York City” de Lennon.

Mas os olhares carinhosos de todos para os quatro não impediram Michael de dizer uma mensagem sincera entre as músicas. “Eu sei que soa piegas – não é para ser brega – mas há um monte de merda acontecendo no mundo agora. Há um monte de merdas ruins acontecendo, e tenho certeza que todo mundo está ciente disso, e isso é um saco. Então, eu já disse isso vezes suficientes para um só dia, mas definitivamente significa mais dizer isso no palco e falando com vocês assim. Pessoas como vocês que vêm para shows de música como esse… vocês vêm para se divertir, e para espalhar amor”, ele argumentou. “Tudo o que nós queremos de vocês essa noite é que se divirtam, e que amem alguém aqui. Talvez até mesmo façam amor, se quiserem”, ele acrescentou brincando. Nesse ponto, é claro, os gritos dominaram o lugar novamente. Mas acho que ele sabia exatamente o que estava fazendo.

Fonte: Radio
Tradução/Adaptação: Equipe 5SOS Brasil

No sábado, eu finalmente pude presenciar a excelência turbulenta e de tirar o fôlego da turnê Sounds Live Feels Live, do 5 Seconds of Summer – a excelência que eu desesperadamente vim esperando desde o momento que comprei os ingressos há uns seis meses atrás com o dinheiro que eu trabalhei e consegui sozinho.

Claro, a verdadeira animação para o evento começou mais ou menos uma semana antes de sábado, saber que eu tinha os ingressos foi quase como uma pontada fraca no fundo da minha mente durante todo o ano letivo.

O caminho para o BB&T em Camden estava cheio de puro entusiasmo, crescendo cada vez mais conforme os minutos passavam e nós nos aproximávamos do local do show. Uma vez que vi centenas de adolescentes saltando de carros estacionados, praticamente todas elas com flanelas amarradas na cintura, eu soube que nós chehamos com sucesso na arena. Fomos todos encurralados em uma bolha coletiva, de alguma forma formando filas e tivemos nossas bolsas revistadas e nossos ingressos digitalizados, finalmente sendo permitidos a entrar.

Depois de achar nossos lugares, eu decidi ir ao stand de merch pra conseguir o pôster oficial da Sounds Live Feels Live e laminado, completo com imagens incríveis dos meninos do 5 Seconds of Summer. Os próximos 30 minutos foram de espera na fila para e depois cedendo a comiga cara do stand de comida, com o som da primeira banda de abertura, Hey Violet, tocando de fundo.

Uma vez sentados, o publico ouviu a segunda banda de abertura, One Ok Rock, muitos balançando suas cabeças para a música, e quando eles terminaram, nós esperamos, música após música tocada nos auto falantes – e então, as luzes se apagaram e tudo ficou escuro.

E deixa eu te dizer, você nunca vai ter expecienciado um som tão ensurdecedor quanto 7,000 fãs gritando e pulando juntas em uma única batida, se tornando um só para curtir uma das melhores noites de suas vidas.

Os meninos do 5 Seconds of Summer tocaram músicas antigas, como “End Up Here,” “Long Way Home” e “Disconnected”. Eu mesmo e o resto do public estavamos tão felizes por ouvir músicas novas para a turnê que acompanha o album “Sounds Live Feels Live”, incluindo “Waste the Night”, “Vapor” e “Hey Everydody”.

Um dos pontos altos da noite foi seu novo single “Girls Talk Boys”, que tinha acabado de sair um dia antes na trilha sonora oficial do filme “Ghostbusters”.

Os meninos finalizaram a noite com seu encore de “She’s Kinda Hot” e, claro, “She Looks So Perfect”, o single que ajudou a conseguir a atenção no começo.

Durante a noite, eu me encontrei admirado enquanto eu cantava junto, porque eu fui capaz de ver o quanto eles cresceram desde quando eu os vi ano passado durante a turnê Rock Out With Your Socks Out. Além disso, eu achei impressionante a precisão com que eles tocaram suas músicas ao vivo, enquanto muitos artistas hoje em dia se encontram usando equipamentos técnicos para fazer com que soem melhor do que na vida real

Eu também reparei o quanto significou mais para mime estar lá, porque eu trabalhei muito para isso, e eu sei que é uma experiência que eu nunca vou ser capaz de esquecer.

Então, obrigada aos meninos do 5 Seconds of Summer por fazerem um show incrível.

Fonte: Burlington County News
Tradução/Adaptação: Equipe 5SOS Brasil

Tendo passado um tempo com State Champs e All Time, existe uma chance de você ter ouvido sobre a 5 Seconds of Summer. Os australianos tem mostrado seu contagiante pop rock por alguns anos, com nenhum sinal de diminuir o ritmo. Agora em 2016, eles estão rodando com sua turnê apropriadamente chamada ‘Sounds Live Feels Live’ para tocar seu lançamento de 2015, Sounds Live Feels Live – com músicas co-escritas por Joel & Benji Madden da Good Charlotte e Alex Gaskarth da All Time Low.

Encontrando-se no Mansfield’s xFinity Centre, o quarteto junto com a banda de abertura, Hey Violet, o grupo de maioria feminina de Los Angeles, Califórnia que oferece uma introdução colorida para a noite. A música que eles oferecem é um pop rock energético e eles são o suporte perfeito para a 5 Seconds of Summer. Seguido deles vem o One Ok Rock, um quarteto japonês que já dura 11 anos. Eles são uma enorme energia para enfeitar o palco, compartilhando riffs mais pesados com melodias vocais mais suaves, e de alguma forma eles se misturam perfeitamente.

Eventualmente, o momento chega quando as luzes se apagam e a 5 Seconds Of Summer sobe no palco. Desde quando eles estavam em turnê com a One Direction como abertura, eles saltaram para a imensa popularidade com top 10 singles, até mesmo enfeitando as páginas de algumas das maiores revistas de música do mundo. Depois de sair dos os pequenos e sujos clubes de show sua cidade natal, o quarteto agora está enchendo arenas e é tudo aconteceu em apenas alguns anos.

O palco deles é algo para se maravilhar, como uma abundancia de iluminação para alimentar um bairro inteiro. O set possui 20 musica – uma mistura de maioria nova, mas algumas favoritas mais velhas e amadas também. “Vapor” é bem recebida por praticamente todo membro da multidão, com os braços levantados e com corações laranja em suas mãos. É bem legal de ser olhar e é um momento bonito para ser compartilhado entre a banda e os fãs.

A multidão canta mais alto para as faixas populares e não é nenhuma surpresa; “She Looks So Perfect” é uma para agradar ao público e algo que todo mundo sabe. 5 Seconds Of Summer não está completamente no nível das bandas que eles procuram ser em termos de presença de palco e interação, só é realmente pedindo para cada lado para se animar aqui e ali, mas eles vieram incrivelmente longe. Eles são divertidos e suas trilhas animadas fazem com que todos fiquem em pé, até mesmo os pais que trouxeram suas filhas para o show.

Aqui está nossa galeria exclusiva do show feita pelo fotógrafo Substream, Kelly Hamilton:

Inicio>Shows>5SOS>2016>Sounds Live Feels Live> Mansfield, EUA [09/07]:

5sos10 5sos13 5sos16

Fonte: Substream Magazine
Tradução/Adaptação: Equipe 5SOS Brasil

Deixe aquela DPS começar fãs do 5SOS — isso é depressão-pós-show para aqueles novos aqui.

A banda australiana fez sua segunda aparição no Toronto’s Molson Canadian Amphitheater ontem (12 de Julho) e as coisas ficaram um pouco loucas. Os fãs da 5 Seconds Of Summer apareceram um por um com sorrisos enormes, alguns às 8 da manhã, muitos usando xadrez e outros até com fantasias. Nós percebemos uma mudança na idade do público. Enquanto a banda tendia a ter um público beirando entre 16-10 anos, agora o que nós vimos foi que os fãs devem ter ficado mais velhos – o que não é algo ruim.

A medida que os fãs chegavam a seus lugares, Hey Violet – que é assinada pela Hi Or Hey Records, do 5SOS – fizeram seu retorno aos palcos (eles também abriram para a banda em 2015) e foram seguidos pela banda japonesa One OK Rock – que nos surpreendeu.

Então um a um, 5 Seconds of Summer apareceu, começando pelo baterista, Ashton Irwin, seguido por Michael Clifford, Luke Hemmings e Calum Hood – foi aí que as coisas ficaram loucas. A banda mencionou mais uma vez que Canadenses e Australianos se dão muito bem e que eles não vão perguntar o porquê, e nem vamos nós.

A banda tocou novas e antigas músicas, perfeito para aqueles fãs que estão aqui desde o inicio. Como em todo show acontece, cada membro tem a chance de conversar com o público, mas foi Sr Michael Clifford que veio com o melhor discurso – direto no coração.

“Quão bom numa escala de 1 à Canada— Canada sendo o melhor.” – Michael Clifford
Os meninos até tocaram “living in the 6ix” por estarem em Toronto.

Então, se você estiver se perguntando como a Sounds Live Feels Live é — it’s muito live. E aqui estão algumas fotos para provar:

Ashton Irwin arrasando na bateria

Calum Hood quebrando tudo no baixo

Michael Clifford destruindo na guitarra

Luke Hemmings arrebentando nos vocais

Fonte: And Pop
Tradução/Adaptação: Equipe 5SOS Brasil