Eles conseguiram se apresentar, apesar de sofrerem um acidente de pirotecnia apenas alguns dias atrás. Mas poderia 5 Seconds of Summer ainda trazer o calor? Rachel Bache estava lá.

Luke Hemmings e Calum Hood da 5 Seconds of Summer se apresentando.Foto / Getty Images

“Lutei com um dragão de fogo, ele tentou me queimar,” Michael Clifford da 5 Seconds of Summer prontamente cantou no palco da Vector Arena, em Auckland.”Eu tenho queimaduras no meu rosto, mas … la la la “.

O guitarrista de 19 anos teve um encontro com um lança-chamas em mau funcionamento apenas alguns dias atrás, que queimou seu rosto e cabelo. Os closes dados no Clifford, porém, não parecem mostrar muito dano e o australiano não parecia tão abalado pela ocorrência, correndo ao redor do palco enquanto fazia seus solos em sua guitarra elétrica.

No entanto, 5SOS deixou a pirotecnia de fora de seu show na Nova Zelândia. O que é justo.

Em uma jogada inteligente, o concerto foi sentado – muito provavelmente para parar os adolescentes de esmagarem uns aos outros na pista – embora isso não impediu fãs em êxtase de ficarem em seus pés durante todo o desempenho.

A multidão de predominantemente de jovens garotas gritaram numa frequência de perfurar o ouvido, delirando sobre sua banda favorita, composta pelo vocalista Luke Hemmings, baterista Ashton Irwin, baixista Kiwi [nascido na Nova Zelândia] Calum Hood e Clifford no comando. Todos moleques de boa aparência dignos de pôster.

Mas as aparências não eram tudo que havia para 5SOS. Musicalmente, eles estavam no ponto, arrebentando suas melodias pop-punk skatistas sem esforço, ao interagir com o público e envolvê-los no show. Em um momento eles convidaram um menino de nove anos de idade no palco para dedilhar algumas cordas no baixo de Hood. Foi bastante adorável.

O show da banda na Vector pode ter deixado de lado o fogo, mas ainda ostentava uma luz impressionante, piscando e girando em torno do local numa variedade de cores brilhantes. Telas gigantes estavam penduradas acima da banda, alternando entre close-ups de seus instrumentos e rostos. O palco foi projetado para que tivessem duas grandes plataformas ao lado, com uma terceira plataforma no meio, elevando Irwin e sua bateria bem acima do resto de seus companheiros de banda.

Apesar de não tão pesado quanto algumas das bandas que, sem dúvida, esperavam competir, a 5SOS parecia que estava trazendo pop-punk a uma geração que ficou de fora em um momento em que “a cena” foi uma grande coisa. Para as crianças que perderam bandas como Blink-182, Fall Out Boy, Good Charlotte, Yellow Card, Simple Plan e Green Day, 5SOS ajudou a transportá-los todos de volta uma década atrás. Quando eles tocaram um cover de American Idiot todos os seus fãs cantaram junto, palavra por palavra.

A banda até mesmo, fazendo um ciclo, compartilhou um pouco de Good Charlotte com sua canção emocional Amnesia, que foi co-escrita por Benji e Joel Madden.

A 5SOS manteve os níveis de energia altos durante toda sua performance, tocando acorde por acorde, inspirando  a arena a dançar, pular, bater palmas e gritar seus coraçõezinhos para fora. Os fãs amaram escutar o hit de maior sucesso da banda SheLooks So Perfect, mas foram à loucura com a canção nasal Good Girls e o cover do The Romantics em What I Like About You.

 Quem: 5 Seconds of Summer

Onde: Vector Arena, Auckland

Quando:Quinta-feira, 18 de Junho

Fonte: Nz Herald

Tradução/Adaptação: Equipe 5SOS Brasil

21/06/15 | Notícias , Traduções
Compartilhe esse post:
Você pode gostar de ler também

Deixe seu comentário



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Atualizações da galeria