– CLIQUE AQUI PARA LER A PRIMEIRA PARTE DA ENTREVISTA

Feldmann é um cara amigável e conversador,  num terno e cabelo loiro-platinado. Ele dá uma olhada no menu, mas encontra dificuldade em achar algo porque está numa dieta. ”Nove dias — sem glúten, sem cafeína, sem carboidratos”, ele diz. ”Eu só me masturbo todo dia a todo momento”

Desde que ele começou a trabalhar com 5SOS em 2013, Feldmann se tornou o pai inoficial da banda. (Eles foram pra sua casa no feriado de ação de graças.) Eles têm um side-project com Feldmann chamado Wormstein, onde usam máscaras de animais e recentemente filmaram um vídeo barato de uma música original de hardcore-punk de 30 segundos chamada “Doughnuts.”

Ele ouviu 5SOS pela primeira vezes Londres, enquanto trabalhava com The Veronicas, uma banda australiana, na qual a cantora, Jessica Origliasso, era amiga de Clifford. ”Eu nunca em um milhão de anos teria dito que em dois anos eles estariam na capa da Rolling Stone”, diz Feldmann. ”Eu ouvia tanta gente dizendo que ‘guitarras haviam acabado’. É tudo EDM e programação. E é isso que as pessoas querem ouvir.’ E graças a Deus, eles provaram que todos estavam errados.”

A banda podia ter optado por trabalhar com hitmakers como Max Martin após o sucesso do primeiro álbum, mas escolheram continuar com Feldmann. Ele é só um dos pop punkers veteranos trabalhando com a 5SOS — Deryck Whibley da Sum 41, Alex Garskarth da All Time Low, e Benji e Joel Madden da Good Charlotte também escreveram com a banda.

5SOS também são grandes fãs do Creed e Nickelback. “Eu acho que os australianos são viciados naturalmente no cock rock [subgênero de rock]”, diz Hood. “Porque eu amo pra caralho. ” A banda até teve uma colaboração com Chad Kroeger em uma das sessões de composições recentemente, mas não deu muito certo. “Era apenas mais uma música do Nickelback,” diz Irwin.

A banda ama falar sobre o Kroeger. “Ele pediu 12 pedaços de filé de frango e uma salada Caesar [salada preparada com alface romana e molho Caeser].” Diz Irwin. “Foi tão engraçado, cara.” Hood levanta sua voz em  uma oitava para imitar Kroeger: “Ele estava tipo, ‘Porra, eu não sou nada saudável. Eu peço isso todos os dias.”

“No final do dia, ele estava tipo, ‘Merda, eu me sinto estressado,” diz Irwin. “Ele estava tipo, ‘Vocês procuram por merda na internet? E nós estávamos tipo, ‘que tipo de merda?’ E ele, ‘Coisas de garota, tipo, garotas gostosas dançando.’ Então ele vai no Youtube e escreve ‘Garotas gostosas dançando’ na pesquisa. E nós sentamos lá assistindo. Foi um momento “pai esquisito na internet”

“Tipo um pai tentando achar porno,” diz Clifford, brincando de digitar “porn.com!”

“Esse definitivamente era eu quando mais novo – pornô de graça, ” diz Hood. “Eu não quero nada dessa merda de subscrição. Eu quero o material de graça.”

“Vocês já procuraram alguma vez por ‘Peitos’ no google images?” Diz Clifford. “Quando eu tinha 11 anos, eu costumava usar a janela anônima no google imagens. Ah, cara, isso não está ajudando em nada na entrevista, está? ”

Good Charlotte foi o primeiro show de rock do Hemmings, ele os viu ao vivo quando tinha em torno de 12 anos em Sydney. “Eles são a razão pela qual eu quis estar em uma banda,” ele diz. “Eu pude me identificar com uma banda de uma cidade pequena, falando sobre quererem ir para fora. ”

Agora, 5SOS estão retornando o favor: Good Charlotte foi de tocar no Madison Square Garden a performar na Casa do Blues in Myrtle Beach, na Carolina do Sul, quando decidiram entrar em hiatos há alguns anos e trabalhar por trás das câmeras como produtores. Então Feldmann os botou em contato com 5SOS, e eles escreveram canções em ambos os seus álbuns. ”Nós ficamos muito inspirados,” Benji Madden dirá no palco essa noite. ”E nós trouxemos o besouro do pop-punk de volta!” Essa noite é primeiro show completo dos Maddens em cinco anos.

Enquanto Hemmings come, ele abraça sua namorada, Arzaylea, uma morena baixa de 21 anos com um piercing no nariz e uma camisa que diz ”Eu preferia estar comendo.” Enquanto Hemmings fala em meu ouvido, ela mantém sua mão nas calças dele, acariciando sua perna. Eles se encontraram em uma festa em L.A. há três meses. A festa estava ”muito ruim,” mas Hemmings se impressionou quando ela o contou que sua banda era o grupo emo do arizona, The Maine. Ele a convidou pra casa da 5SOS por volta das 3h da manhã, e eles estão juntos desde então. Ele tentou manter o relacionamento deles em segredo por semanas, saindo de carros separadamente pra evitar paparazzis, mas essa noite parece que ele desistiu. ”É difícil,” ele diz. ”Uma das coisas estranhas é que você quer que seja um segredo, mas não quer que seja um segredo.”

Arzaylea cresceu em Austin e Nova York, e foi ao instinto de beleza Aveda. ”Eu não uso isso agora“ ela diz. O que ela faz? ”Eu sou uma ”influenciadora da internet”, ela diz. ”Eu só posto fotos. É bem fácil.” Num Q&A online, alguém a perguntou, ”Você se preocupa com dinheiro pro futuro, já que não tem um trabalho fixo e atualmente não estuda?”

”Não,” ela respondeu. ”Fundo de segurança.

Arzaylea se tornou uma vilã pras fãs obcecadas por Hemmings; o universo online de 5SOS é cheio de conspirações sobre ela — que está usando Hemmings por fama, especulando que ela tenha 25 anos, e não 21, que ela é uma marionete sendo paga por agentes pra criar problemas e gerar publicidade. Elas escavaram tweets azedos de ex-namorados. ”Vocês me odeiam quando nem me conhecem,” ela tweetou fãs. ”Eu não uso ninguém pra nada. Eu posso fazer literalmente tudo sozinha.”

Hemmings e Arzaylea dão as mãos ao andarem até o Troubadour. Minutos depois Good Charlotte estão no palco, apresentando um set cheio de hits. Entre canções, eles brincam sobre estarem velhos e abandonando a escola antes de praticar. ”Nós vamos levar isso de volta pra 2001”, Joel Madden diz antes de ”Little Things.” Hemmings balança em seu assento, cantando junto. Quando a área VIP fica cheia, Arzaylea sobe em seu colo, e eles se pegam. Quando a banda dá um oi pra 5SOS, eles levantam os pulsos

Depois do show, 5SOS foi para o backstage, onde Nicole Richie, esposa do Joel Madden, direciona os convidados para o camarim. Os Maddens estão conversando com executivos da indústria musical sobre a sua volta. Quando eles veem a banda, todos se abraçam. “Nós devemos muito a esses caras, mano, ” Benji Madden diz, falando para o público. “Nós estávamos tipo, acabados. E então, nós passamos nove meses juntos. Vê-los se tornarem a banda que são…. Eu amo pra caralho esses caras. Eu não sei o que faria sem vocês. ”

“Esses são meus irmãozinhos, ” diz Joel, dando tapinhas nas costas de Hood. “Obrigado por virem ao nosso show essa noite. Vocês fizeram parecer que somos maneiros! ”

Hemmings, Hood e Clifford se conheceram na escola cristã Norwest, uma pequena escola privada num subúrbio de Sydney, onde estudantes usam blazers e professores ”usam seus conhecimentos como cristãos pra ensinar de um ponto de vista bíblico em todas as áreas do currículo”, de acordo com o website. ”Era bem estrito,” diz Clifford. (Quando perguntado se é religioso, diz não ir pra igreja, mas ”sempre que vou pra casa, minha família me lembra de quão abençoado eu sou, e coisa do tipo.”)

Hemmings se descreve como um estudante ”agressivamente normal”; sua mãe era uma professora de matemática e seu pai possuía um negócio de limpar piscina. Clifford e Hood se conheciam por anos; Hemmings chegou em Northwest na sétima série. ”Ele era tipo o cara legal”, diz Clifford, o qual os país possuem um negócio de computadores . ”Ele era meio um otario. Nós não nós gostávamos por um tempo.” Hemmings diz, ”Eu era gordinho. Minha voz não havia se desenvolvido. Michael era alto e magro, e tinha um cabelo maneiro, então eu era meio ‘Que esse cara se foda.’

Adam Day, o professor de música dos meninos, disse que Clifford foi o primeiro a mostrar ambição desde novo: ”Michael sempre me disse, ’Eu vou ser um super astro um dia.’” Mas foi Hemmings quem primeiro se tornou sério sobre YouTube, postando um cover de ”Please Don’t Go” de Mike Posner em 2011, quando tinha 14 anos. Graças a aparencia e performance amadora, mas encantadora de Hemmings, o vídeo atingiu 40,000 visualizações em alguns meses.

Hood – que levou o futebol tão a sério a ponto de visitar o Brasil para treinar – e Clifford se juntaram a ação. O trio se juntou ao redor de uma câmera e gravaram o cover do single do Chris Brown ft. Justin Bieber “Next to You” que passou de 600 mil visualizações. Eles brincavam um com outro e com vários fãs online: “Vá se inscrever e curtir todas as coisas,” Clifford dizeria. “Nós percebemos o que as pessoas gostam sobre nós, ” disse Hemmings. “Nós não somos idiotas. Nós estávamos sendo idiotas na frente da câmera e as pessoas gostariam disso.”

“Eles tinham essa energia nervosa,” diz o primeiro empresário da banda, Adam Wilkinson, que os conheceu quando os três fizeram uma turnê pelo Studio 301, um dos maiores estúdios de gravação, na primavera de 2011. Naquele dezembro, eles fizeram a primeira apresentação em uma casa de show local chamada de Annandale Hotel. Eles precisavam de um baterista e encontraram o Irwin. A banda disse que apenas doze pessoas apareceram para o show. “Tinha muito mais público na internet,” diz Irwin. “Ninguém dava a mínima de onde nós viemos. Mas as pessoas da internet que viviam na Noruega e Suécia estavam assistindo e dizendo, ‘Isso é legal.’”

Depois de se encontrar com a banda e a mãe de Hemmings, Wilkinson escreveu um plano de 12 meses pra 5SOS se tornar um ”juggernaut” pop. Ele começa lendo uma estratégia de marketing apresentada à banda: ”Musicalmente, 5SOS pode ocupar o espaço entre One Direction e [boyband britânica que toca guitarras] Mcfly. Eles são jovens, atrativos, adolescentes de fácil acesso, que têm um lado mais engraçado, e tocam seus próprios instrumentos. Enquanto eles não podem entrar no mundo pop punk, eles podem ficar nos lados e capturar o fim do mercado.”

”Eles sempre quiseram ser Blink-182 ou Good Charlotte, mas eu serei o primeiro a admitir ter achado que isso seria atirar muito longe,” diz Wilkinson. ”Nós tentamos fazê-los mais pop.”

Igual ao Fab Four, cada membro do 5SOS teria uma simples personalidade. Luke era o quieto. “A ideia era fazer os fãs sentir um pouco do mistério que o cerca,” diz Michael do Day One que queria ser um rock star. “Então, nós tentamos atenuar isso. Calum foi sempre o criativo. Ashton o sério.

Wilkinson faria os garotos twittar pros fãs: ”Eu estaria checando o Twitter deles — ’Caras, o Ashton fez isso, por quê diabos vocês não fizeram?’ ’Oh, desculpa, esqueci. Tô na escola, ocupado.’

Em maio de 2012, a banda saiu em sua primeira turne de todas, passando por três cidades com casas de shows com capacidade de 200 pessoas, que Wilkinson diz ter esgotado todas as datas com menos de dois minutos. “Eu continuo sem entender como os ingressos se esgotaram tão rápido,” ele diz. “Dentro de três meses, esses caras foram do nada para esgotando shows em três cidades que várias bandas  conhecidas se matariam para esgotar.”

A coisa ficou mais séria quando a banda despertou o interesse da Modest Management, a companhia de Londres que é responsável pelo One Direction. O co-fundador, Richard Griffiths, voou para Australia para persuadir o 5SOS a se mudar para Londres. A banda chegou no Reino Unido em dezembro de 2012, um mês depois que o Louis Tomlinson, do 1D, havia tuitado um link do youtube do single original da banda, “Gotta Get Out.”

“Tenho sido fã dessa banda há um tempo, todos vão atras de conhecê-los,” ele disse.

Apoio como esse não vem de graça: de acordo com os relatos, One Direction é dono de mais de 50%  da 5SOS no LPP [companhia que pertence aos membros do 1D junto com a Modest] dando a eles uma parte do lucro da banda com a música e merchandise. De meses após o tweet, One Direction anunciou que 5SOS abriria para eles sua turnê em arenas; depois de menos de duas dezenas de shows, 5SOS estava tocando na O2 Arena. Quando eles pousaram em Miami em uma pausa da turnê, 200 garotas os esperavam dentro do aeroporto.

Hemmings diz que eles tomam vantagem da atenção. Eles eram selvagens nas suas turnês antigas, quando eles iam aos bares para se misturar com os fãs depois dos shows. “Quando você coloca quatro caras em um ônibus de turnê, tocando em teatros, depois arenas, você vai transar com um monte de garotas, eu acho,” diz Hemmings. “Nós nos divertíamos muito.” Várias garotas em uma noite? “Eu sinto que não deveria dizer,” ele diz com um sorrisinho. “Você pode dizer que as possibilidades são grandes.” Várias garotas ao mesmo tempo? “A possibilidade é grande,” ele diz de novo. Ele dá um sorriso meio diabolico. “As possibilidades são infinitas.”

“Eu tinha toda essa atenção de todas essas garotas que nunca teriam olhado pra mim no colégio, chegando até mim dizendo coisas, dando números de celular,” diz Hood. “Era tipo, ‘Puta merda, ai sim caralho!’ Eu era um pouco imprudente.”

Em 2014, um video que o Hood mandou para uma garota no snapchat – no qual ele filmava se olhando no espelho com seu pênis de fora – caiu na rede. Esse fato aconteceu há um tempo – ele sabe por causa das suas tatuagens. “Foi meio que uma benção, de um modo, porque nada tão ruim pode acontecer de novo comigo, ” ele diz, fumando na varanda da casa da banda. “Se outra foto do meu pênis sair, vai ser só, tipo, ‘Ah! É o pau dele de novo. ”

Além de que, o vídeo ajudou a dar uma certa publicidade para a banda. “Agora, eu estou trabalhando em um vídeo pornô,” diz Hood. “Eu vou chamar a Pamela [Anderson], tipo, ‘Ei, já faz um tempo. Nós realmente precisamos  dar uma animada nessa banda!’”

Ele pode não ser o Sid Vicious [grande ícone do punk, ex-baixista do Sex Pitols], mas Clifford foi a ovelha negra do 5SOS desde o início, quando Irwin tinha que ir até a casa do Clifford o acordar para os ensaios da banda. Ele é um pouco esquisito – ele não pode participar de um show em Nova Iorque após perder seu passaporte – e ele também é o mais propenso a acidentes: no último mês de Novembro em Londres, ele caiu do palco de uma premiação com menos de 10 segundos de apresentação, caindo em um buraco que havia no meio do palco. “Meu calcanhar está fodido,” ele diz. Mais assustadoramente, Clifford se machucou durante o show pirotécnico em Londres no mês de Junho, seu cabelo e camiseta pegaram fogo, fazendo-o se contorcer pelo palco. Ele foi para o hospital e passou bem, mas ficou apavorado por um momento quando não conseguia abrir seus olhos.

Em uma nota mais pessoal, Clifford interrompeu o show em Michigan no verão passado: “Eu estava resolvendo alguns problemas emocionais,” ele disse para o público. “Eu acabei de ver um terapista nessa ultima pausa rápida que tivemos.”

Clifford afirma sofrer com problemas de ”auto-estima, solidão, e um pouco de depressão,” e diz estar tomando muitos remédios pra dormir à noite. Duas semanas atrás, em Amsterdam, ele atingiu um ”breaking point” [ponto de quebra, ou, não aguentou mais tudo o que estava sentindo] e ligou pro empresário da banda, Matt Emsel. ”Eu disse, ’Eu vou pra casa, já deu pra mim’” diz Clifford. ”’Eu vou me esconder por, tipo, um ou dois meses.’” Ele continua, ”Eu estive triste demais ultimamente.” Após o anúncio no palco, fãs twittaram Clifford palavras de encorajamento com a hashtag #WeLoveYouMichael. ”Eu me tornei, tipo, um advogado da saúde mental, sabe?” Ele diz, um pouco desconfortável com o papel. Irwin é protetor com Clifford, dizendo estar preocupado que os problemas do guitarristas seriam ”vistos como alguma merd@ pra atrair marketing.”

Irwin ficou feliz ao ver Clifford sorrindo quando sua mãe o visitou na estrada recentemente. ”Michael ama a sua casa,” Diz Irwin. ”Ele ama ficar em casa com a porr# do computador dele. Foi lá que nós o pegamos e é pra lá que nós temos que o devolver. Você sabe o que eu quero dizer? Michael, se você deixar seu computador por alguns anos, nós o devolveremos lá eventualmente. A gente só precisa de você por agora pra essa banda.”

Na semana antes do AMAs, Clifford ficou chateado quando o apresentador do The Late Late Night foi para o Sul. Na história, Corden interpretou um quinto membro fictício do 5SOS, que comicamente atacou depois que ele foi chutado para fora do grupo. Mas na gravação, a banda continuava pisando nas linhas do Corden e o apresentador ficou irritado. Suas piadas a custa da banda começaram a ficar mais pesadas e ele começou a atacar Clifford: “Eu consigo encontrar um cara idiota com cabelo vermelho sete dias por semana! Você acha que é o primeiro cara a pintar o seu cabelo e estando em uma banda? Você é um musico clichê de merda.

Clifford ficou um pouco abalado depois disso. “Aquilo foi realmente estranho,” ele disse, andando em um mercado nas proximidades. “Essa foi a promo mais difícil que já fiz.” (As falas maldosas foram cortadas no final). Irwin tem uma opinião diferente, mencionando que brilhantemente conseguiu um elogio de um dos produtores. “Ela disse que era boa em improvisar! ”

Wilkinson atribui o fato do Irwin dirigir a sua infância difícil. O seu pai abandonou sua família quando Irwin tinha dois anos, Irwin ajudou sua mãe a criar seus irmãos mais novos, que são de pais diferentes. “Teve uma época em que ela estava com depressão e bebia muito, foi uma época muito difícil para mim,” ele diz. Irwin era o único membro já formado no Ensino Médio antes de partir para a Inglaterra, ele era uma estrela da natação e vice presidente da classe, e também teve aulas de atuação. E embora tenha sido difícil deixar seus irmãos quando 5SOS deixou Sydney, Irwin sabia que não poderia deixar a oportunidade passar. “Eu acho que estava em um lugar diferente,” ele diz. “Para mim, minha vida era muito mais estressante quando estava em casa. ”

“Eu não estou preso ao meu passado,” ele adiciona. “Eu sou um adulto.” Ele malha todos os dias (“Eu me inspiro no Sting and Springsteen – eles estão em forma pra caralho e são incríveis no palco”) e se esforça para se aproximar com o pessoal da indústria musical, relaxando após o ensaio do AMA para falar com alguns caras que estão próximos a mesa de som.

Clifford e Irwin sempre discutem sobre suas diferenças na hora da criatividade. “Teve vezes em que eu estava tipo, ‘Porra, por que nós estamos brigando tanto?’” diz Clifford. Clifford tende a escrever coisas mais pesadas/sombrias, como por exemplo “Jet Black Heart.” Irwin vai mais para o lado comercial. Irwin ajudou com o primeiro grande single da banda “She Looks So Perfect” (com o refrão “You look so perfect standing there/In my American Apparel underwear”). Irwin conta animado a história da letra: A namorada de um dos compositores da música esqueceu uma vez sua roupa intima, então usou a do seu namorado. “Nós estávamos tipo, ‘Isso é legal pra caralho’” diz Irwin. “Me atingiu de um jeito. Eu amei porque era peculiar. Isso ia nos levar para outro nível. Michael odiou a música.”

“Eu me preocupo com a minha banda,” ele adiciona. “Eu me preocupo pra caralho com eles. Vez ou outra, alguém vai ter a experiência de ter um coração partido de sentir-se deprimido, sentir-se louco e querer festar todos os dias. Eu quero que eles consigam passar por isso e melhorar. Nós temos que fazer isso dar certo. ”

De longe, está dando certo. Hoje, a banda está jogada em um só, usando chapeis engraçados e respondendo perguntas para o programa de véspera de ano novo do Ryan Seacrest, New Year’s Rockin’ Eve. Uma repórter loira em um vestido de espartilho pergunta a banda qual lição eles aprenderam esse ano. “Olhar por onde você anda,” diz Irwin. “E olhar onde o Michael está indo.”

Clifford está lento e um pouco irritado, ele esteve fora até tarde festando com o baterista do Twenty One Pilots, Josh Dun. Clifford toca os singles conhecidos da banda como “Hey Everybody!” e “She’s Kinda Hot,” mas depois disso, com o público ainda gritando, ele sai do palco e corre para o camarim. “Está tudo bem com você?” pergunta alguém da equipe da banda, colocando os braços ao redor dele.
Os amigos de banda param para um breve photoshoot, fazendo suas melhores caras de punk – Hemmings coloca sua língua pra fora, Irwin faz uma careta, Hood coloca uma arminha de confete em sua virilha e atira. Clifford aperta os olhos e levanta as sobrancelhas. Mas ele parece infeliz.

Mas o humor de Clifford melhora mais tarde no camarim quando Irwin o presenteia com o presente da banda para seu aniversário, cujo qual Irwin estava planejando por meses: duas guitarras pretas feitas sob medida da Gibson Les Paul Junior. “PUTA MERDA!” diz Clifford, abrindo a primeira caixa, colocando a sua mão sobre seu rosto. Quando ele vê a segunda guitarra, ele grita: “Esse é o melhor dia da minha vida! Ai, meu deus! Puta que pariu! Isso é literalmente a última coisa que eu poderia esperar!” Ele dá um abraço muito forte em Irwin.

Para o ano novo, a banda planeja passer em lugares separados: Hemmings e Clifford estarão dividindo uma casa, e Hood e Irwin outra. “Eventualmente, nós vamos chegar em uma fase que não vamos conseguir ficar o tempo todo junto por 24/7 (24 horas por dia, 7 dias na semana),” diz Clifford.

Mas eles parecem perceber que ser uma banda é o que os diferencia de quase todos que estão no nível deles, e eles querem se agarrar a isso. Eles sentem pena dos pop stars solos que são incentivados por ajudantes pagos durante as premiações. “Ninguém é amigo de ninguém,” diz Irwin. Apesar de todas as tensões, eles vão passar as férias juntos na Indonésia durante a pausa. “Você precisa trabalhar  no relacionamento da banda, assim como em um relacionamento amoroso,” diz Irwin.

O momento preferido de Clifford ano passado não aconteceu no palco, ou quando eles estavam sendo perseguidos, ou quando eles foram numero um. Foi em Milão, quando a banda pediu por cinco minutos sozinhos durante uma pausa da turnê, longe da comitiva. Isso foi até Hood começar a escalar a janela, saindo para o estacionamento. E os outros seguiram.

“Nós estávamos tipo, ‘Puta merda, essa vai ser a melhor pegadinha de todas,” diz Clifford. “Nós fechamos a janela, escondemos no estacionamento e observamos nossos managers irem até o quarto.”

“Eles abriram a porta tipo, ‘Para onde esses caras foram?’” ele continua. “Eles foram no banheiro, o ônibus inteiro. Eles começaram a surtar. ‘Puta merda, eles desapareceram.’”

“Nós poderíamos ter corrido,” diz Clifford, sorrindo. “Poderíamos ter corrido para bem longe.”

TRADUÇÃO: Equipe 5SOS Brasil | Agradecimento especial a Vinícius Oliveira


NOTA DO 5SOS BRASIL:

A banda até o momento não se manifestou de forma oficial sobre as declarações ditas na entrevista, porém, no Twitter a Arzaylea (citada na entrevista como namorada do Luke) afirma que o artigo foi totalmente distorcido.

Michael também se pronunciou na rede social: “Eu odeio quando as pessoas colocam tudo em um artigo MENOS a razão pela qual nós somos uma banda: os fãs”. Luke publicou um tweet mas apagou logo em seguida, nele ele dizia: “Que tal nós falarmos sobre música e os fãs? A única razão pela qual uma banda é uma banda”. Andrew Hemmings, pai de Luke, postou no Twitter: “O Luke jamais falaria desse jeito [de uma mulher]. Nunca. Não existe drama se você realmente o conhece.”

30/12/15 | Entrevistas
Compartilhe esse post:
Você pode gostar de ler também

Deixe seu comentário



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Atualizações da galeria